FAQ - Dúvidas Frequentes

1-) Por que produtos de limpeza como água sanitária, limpador de vidro, limpador de chão, cera liquida, pasta para brilho que são vendidos em caminhão pelas ruas fazem mal para a saúde? O que eles podem causar que os produtos vendidos em supermercados não causam?

Resposta: Existem vários motivos pelos quais eles fazem mal: são formulados com matérias-primas de origem desconhecida que podem conter impurezas prejudiciais à saúde do consumidor; não têm controle de qualidade; não seguem boas práticas de fabricação; e, não possuem rotulagem adequada, condições estas que todos os produtos regulares seguem.

Nestas condições um médico que vai tratar um paciente intoxicado com um produto informal não sabe o que tratar e só o fará sintomaticamente, não sabendo a raiz do problema. Neste caso pode ocorrer até a morte do paciente.

Ainda, um produto irregular não contem os níveis necessários de substância ativa, portanto, não limpam nem matam bactérias como deveriam, facilitando a disseminação de doenças.

2-) Por que produto de caminhão é considerado falsificado?

Resposta: Porque normalmente se utilizam de marcas conhecidas para serem vendidos. Mas o principal problema, independente de usarem marcas conhecidas ou não, é que são produtos ineficazes e inseguros para o consumidor.

3-) Como identificar os produtos originais dos falsificados, se os não originais tem até o cheiro igualzinho e fazem a mesma coisa?

Resposta: A rotulagem é o principal meio para se identificar um produto formal. O rótulo de um produto regular tem que conter, no mínimo, as seguintes informações: nome e CNPJ do fabricante, nome do responsável técnico e número de inscrição no respectivo conselho de classe, número de registro ou a frase ”Produto Notificado na ANVISA”, número de autorização de funcionamento da empresa, composição, modo de uso, cuidados, prazo de validade e número de lote, número de um centro de intoxicações e SAC.

4-) Posso reaproveitar os vasilhames antigos para colocar produtos comprados em galões grandes?

Resposta: Não. Os produtos regulares, durante sua fase de pesquisa e desenvolvimento, passam por inúmeros testes que garantem a compatibilidade entre as substâncias contidas no produto e a própria embalagem, e garantem que o produto terá eficácia durante a validade declarada. Assim o consumidor tem um produto seguro e eficaz durante todo seu prazo de validade.

5-) Eu tenho uma loja de produtos de limpeza onde eu reproduzo as embalagens de produtos de supermercado para vender para as clientes que eu tenho. A reprodução dessas embalagens mesmo que eu não mude em nada significa pirataria?

Resposta: Sim. A reprodução de uma embalagem, sem a autorização do fabricante do produto original e sem conter as propriedades conforme declaradas no rótulo é considerado pirataria e falsificação.

Toda embalagem passa por um desenvolvimento e testes que comprovam a compatibilidade entre o produto e o material utilizado na embalagem, a fim de garantir a eficácia e segurança do produto durante todo o prazo de validade do mesmo. A reprodução de uma embalagem, contendo um outro produto, pode fazer com que o conteúdo não tenha eficácia e seja inseguro para o consumidor, já que a mesma não passou por testes.

Resposta 2: Sim. O fracionamento de produtos só pode ser feito por empresas devidamente autorizadas pela Vigilância Sanitária. Mesmo assim, todo um processo de compatibilidade entre a nova embalagem e o produto, prazo de validade entre outros devem ser validados, antes que um produto seja fracionado.

Cabe ressaltar que somente produtos vendidos para este fim – ou seja, fracionamento – podem ser fracionados. Aqueles que são vendidos em embalagens finais para consumo não podem ser fracionados.

6-) Para comercializar produtos legais em uma loja minha é necessária alguma autorização?

Resposta: Sim. É necessário obter a licença/alvará estadual e municipal. Além disto os produtos também precisam ter sua comercialização aprovada pela ANVISA.

© Copyright 2009, MGD Girassol. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por: Guia São Roque